• Paraíso17

Em mês de conscientização, número de acidentes no trânsito aumenta 53%

Excesso de velocidade e imprudência são as principais causas dos acidentes de trânsito em Nova Andradina. Segundo o Corpo de Bombeiros, 60 a 70% dos acidentes envolvem motociclistas
Glaucia Piovesan, Da Redação / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova/Arquivo
16/06/2017 09h29
Acidentes envolvendo motocicletas são os maiores números de ocorrências, segundo o Corpo de Bombeiros / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova/Arquivo

Em pleno mês de campanha contra a violência e imprudência no trânsito, o 'Maio Amarelo', o índice de ocorrências em decorrência de acidentes nas ruas e avenidas de Nova Andradina aumentou 53%, em 2017, na comparação com dados do ano passado. 49 acidentes ocorreram durante o mês de maio, enquanto no mesmo período de 2016, foram 32.

 

A média é de 1,58 acidentes por dia neste último mês de maio, sendo que na maioria houve colisão entre veículos/ ou veículos e motos/ ou ainda veículos e bicicletas. Foram 32 colisões, ou seja, 49%. O segundo maior índice é de queda de motos, com registro de 12 quedas, seguido de atropelamento com 8 registros, 4 quedas de bicicleta e 1 abalroamento.

 

Motociclistas

Cerca de 60 a 70% dos acidentes envolvem motociclistas. Em 2011, este índice chegou a 84%. Para o responsável pelo setor de estatísticas do Corpo de Bombeiros de Nova Andradina, cabo PM Hipólito Gabriel Souza Dutra, falta responsabilidade e prudência aos motoristas, pedestres, principalmente motociclistas. O excesso de velocidade e a imprudência são as principais causas de acidentes. “Este ano, os dados mostram que o trânsito está mais violento. De 1 de janeiro a 10 de junho, os levantamentos apontam um total de 217 acidentes, com um total de 285 vítimas com ferimentos.   A maioria são homens, 219 vítimas. As campanhas de conscientização e blitz são importantes, mas não têm uma eficácia a curto e médio prazo”, analisa.

Cabo BM Hipólito Gabriel Souza Dutra, responsável pelo setor de estatísticas do Corpo de Bombeiros de Nova Andradina – Foto: Glaucia Piovesan/Jornal da Nova

No seu ponto de vista, o público alvo das campanhas deveriam ser os jovens e, principalmente, motociclistas. Porém, o foco do trabalho nos últimos anos tem sido as escolas de primeiro grau, alunos de ensino infantil e fundamental. “Estamos trabalhando os motoristas que se formarão daqui 8 ou 10 anos. Certamente, isso deve refletir na melhoria dos índices futuros. Mas, o problema é que temos que reduzir os acidentes a curto prazo, pois os acidentes de trânsito são a causa mais comum de morte entre adolescentes e também no caso dos homens”, explica o cabo Gabriel.

 

Vale ressaltar que os índices de acidentes de trânsito podem ser ainda maiores, já que não estão contabilizados os atendimentos do Samu 192 e os acidentes sem vítimas, que não são computados pelo Corpo de Bombeiros. “Isso deve representar algo em torno de 20% a mais”, pontua, ao tentar mensurar o total de acidentes no município.

 

Alguns outros referenciais precisam ser anotados quando se trata de analisar o aumento nos índices de acidentes de trânsito, pois precisam ser levados em conta o aumento na frota de veículos nos últimos anos, a sinalização no trânsito, o maior número de motoristas serem do sexo masculino, os maiores índices de acidentes serem registrados no mês de outubro em Nova Andradina, entre outros.

Cabo BM Hipólito Gabriel Souza Dutra, responsável pelo setor de estatísticas do Corpo de Bombeiros de Nova Andradina – Foto: Glaucia Piovesan/Jornal da Nova

 _______

“O comportamento no trânsito é cultural. Há cinco anos, por exemplo, nenhum motorista parava para o pedestre passar na faixa. Hoje, isso já é mais comum. Em relação aos motociclistas: ainda não há uma conscientização de que transitar com a viseira aberto e/ou com a jugular aberta/frouxa é algo que pode salvar uma vida. Isso sem falar em outros comportamentos usuais como utilizar telefone celular encaixado no capacete, pilotar com apenas uma das mãos no guidão, realizar manobras perigosas, entre outros.  Ninguém acha que vai acontecer um acidente, não previne. Daí acaba acontecendo. Todos somos responsáveis pelo trânsito, motoristas e pedestres”, encerra.

 _______

Campanha de conscientização

Realizado durante todo este mês, o movimento 'Maio Amarelo' tentou chamar a atenção da população para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo, por meio de blitzes educativas, distribuição de panfletos informativos, entre outras ações. A campanha contou com a participação do Demtran (Departamento Municipal de Trânsito), Autoescolas, entre outros órgãos envolvidos.





VEJA MAIS