• Paraíso17

Agesul entra com ação de reintegração de posse contra acampados do MST em frente a Boareté

Os acampamentos foram levantados há dois meses
Luis Gustavo, Da Redação / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova
13/09/2018 17h00
220 famílias se encontram acampadas em frente e fazenda Boareté / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova
A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) entrou com uma ação de reintegração de posse e despejo contra os acampados do MST (Movimento Sem Terra) que estão ocupando a frente a fazenda Boareté, em Nova Andradina, há dois meses.
 
|Leia também
 
O processo de reintegração de posse está pautado na ocupação irregular dos acampados, em relação a "faixa de domínio", que é a distância entre o eixo central da rodovia (no caso a MS-134), e o acampamento.
 
Segundo os integrantes do MST, a faixa de domínio corresponde a uma distância de 20 metros e conforme a medição feita por eles, os barracos foram erguidos a 28,4 metros do eixo central da via, estando dentro da normalidade.
 
O MST entrou com recurso na justiça, que está sendo julgado, e pede para que o Governo tome medidas possíveis, pois acreditam que trata-se de um fato político e questionam a existência de pontos de ônibus, que ficam a 13 metros da faixa de domínio, bem como outros acampamentos do Estado que então a 19 metros da pista.
 
O acampamento do MST em frente a fazenda Boareté conta hoje com 220 famílias e cerca de 300 outras famílias deverão se juntar ao movimento, que defende o andamento da reforma agrária.


Galeria de Imagens / Imagens: Luis Gustavo/Jornal da Nova






VEJA MAIS